Extremos térmicos como influenciadores das operações cerebrais em estudantes pré-universitários

Palavras-chave | Produtividade, conforto térmico, desconforto térmico, extremos térmicos, período de
aclimatização, desempenho mental.

Beatriz Silva, Catarina Guerreiro e Matilde Gonçalves
Ano letivo 2018-2019 | Projeto de de 12º ano

As salas de aula da nossa escola são muito frias no inverno e extremamente quentes no verão. A questão que esta situação nos colocou foi: a temperatura influencia as operações mentais que os estudantes normalmente utilizam para aprender ou quando são avaliados? Realizámos uma experiência na qual um grupo de alunos realizou testes de concentração, memória e raciocínio em diferentes temperaturas (conforto térmico, frio e calor). Os resultados mostram que os testes realizados em ambiente frio e quente tiveram resultados significativamente piores que os testes realizados em conforto térmico, pelos mesmos alunos. Uma das consequências desta situação é a desigualdade entre alunos que realizam os exames nacionais em salas a quase 400C e os alunos que realizam os mesmos exames em conforto térmico, em escolas com salas climatizadas.


Clica aqui e descobre todos os detalhes sobre este estudo. Para conheceres a apresentação deste estudo podes descarregar este ficheiro ou espreitar a geleira a baixo.

0001
0002
0003
0004
0005
0006
0007
0008
0009
0010
0011
0012
0013
0014
0015
0016
0017
0018
0019
0020
0021
0022
0023
0024
0025
0026
0027
0028
0029
0030
0031
0032
0001 0002 0003 0004 0005 0006 0007 0008 0009 0010 0011 0012 0013 0014 0015 0016 0017 0018 0019 0020 0021 0022 0023 0024 0025 0026 0027 0028 0029 0030 0031 0032