Impacte do lagostim nas formas larvares de libélulas, em meios dulçaquícolas do concelho de Odemira

Marta Silva, Iryna Litovska

O nosso objetivo foi averiguar a influência do Lagostim-da-Louisiana (espécie invasora) nas larvas aquáticas de libélulas (Odonata). Fizemos ensaios de laboratório, juntando lagostins e Odonata de diferentes tamanhos, para investigar fenómenos de predação num ambiente controlado. Os resultados mostraram que o lagostim tem um comportamento canibal e é um voraz predador das larvas de libélula. Porém, não sabemos ainda se as larvas de libélulas poderão predar lagostins de menor tamanho. Selecionámos 10 habitats dulçaquícolas para investigar a relação entre a abundância de Odonata vs lagostim. Em cada local fizeram-se 6 arrastos de 3 metros identificando-se cada ser vivo capturado. Os predadores detetados foram: gambúsia (peixe), anfíbios e lagostins. Os dados apontam para um impacto maior do lagostim como predador das larvas de Odonata do que outros predadores naturais como os peixes e anfíbios. Comprovou-se ainda o impacto do lagostim na biodiversidade da fauna nos charcos amostrados. 

Descobre mais detalhes sobre o estudo aqui.