Biorremediação de efluentes agrícolas com leitos de macrófitas

Patrícia Nobre e Margarida Dias

Esta experiência propõe-se responder à seguinte questão: Juncus maritimusIris pseudacorus e Spartina maritima são eficazes na biorremediação de efluentes provenientes de culturas hidropónicas?

Na experiência realizada, foram montados doze microcosmos em hidroponia, com substrato de lã-de-rocha (controlo e três ensaios experimentais, um por cada espécie, com três réplicas cada). Preparou-se uma água residual sintética e colocaram-se nos microcosmos, de forma a estar em contacto com a zona rizosférica (em redor das raízes) onde existem áreas aeróbias.

Concluiu-se que as espécies selecionadas apresentam diferentes capacidades de remoção de nutrientes.

Spartina maritima foi a espécie mais eficiente na remoção dos iões amónia e fosfato, com cerca de 21,23 mg/L para 100g de biomassa vegetal e 16,98mg/L para 100g de biomassa vegetal, respetivamente.

Juncus maritimus foi a espécie mais eficiente na remoção dos iões amónia e fosfato, com cerca de 6,93mg/L para 100g de biomassa vegetal e 3,23mg/L para 100g de biomassa vegetal.

Relativamente ao nitrato nenhuma das espécies testadas foi eficaz na remoção desse nutriente.

Se quiseres perceber melhor as conclusões este projeto descarrega este PDF com o Relatório Final.