Dormir + Saber +

Filipa Loução Nuno Jorge Ricardo Duarte

De acordo com a literatura científica, problemas de sono em adolescentes promovem maior cansaço, menos energia, e sintomas como dores de cabeça, dores de estômago e dores nas costas. A privação continuada de sono leva à depressão, ansiedade, raiva, falta de capacidade de concentração, problemas cognitivos, uso de drogas e álcool, prejuízo nos resultados escolares e pensamentos e comportamentos suicidas.

Interessou-nos perceber os hábitos de sono dos alunos da nossa escola. Por outro lado, quisemos comprovar experimentalmente o papel do sono na consolidação da memória declarativa, o que influencia o rendimento escolar dos estudantes.

Para estudar a importância do sono na consolidação da memória, 30 participantes realizaram um teste e um reteste, com um intervalo de 12h entre eles. Um grupo de 15 participantes não dormiram nesse intervalo (grupo Wake) e os restantes 15 dormiram (grupo Sleep). Os testes mostraram que o sono tem influência positiva e participa de forma ativa na consolidação de memória e a privação deste acaba por ter um efeito prejudicial na memória.

Para caracterizar os hábitos de sono dos alunos da Escola Secundária de Odemira (ESO), aplicámos um inquérito a uma amostra de 59 participantes. Alguns dados obtidos: os alunos dormem em média 8,1 horas por dia, 29% dos alunos tem dificuldade em adormecer, a maioria dos alunos sente alguma ansiedade antes de qualquer teste ou outra forma de avaliação formal e quase 29% dos alunos declararam que costumam acordar durante a noite, em média 1,9 vezes. As análises realizadas aos resultados revelaram, entre outras conclusões, que o uso de dipositivos eletrónicos antes de dormir afeta a qualidade do sono. Os alunos deviam conhecer os efeitos adversos que os dispositivos eletrónicos provocam no sono. 

Se quiseres perceber melhor as conclusões este projeto espreita o relatório final aqui. Podes clicar aqui para espreitares a apresentação.