Impacto dos caminhantes da Rota Vicentina na flora dunar

Ana Bernardo, Annemiek Pronk, Joana Gregório

A Rota Vicentina (RV) é uma grande rota pedestre no Sw de Portugal. Investigámos os impactos dos caminhantes da RV na flora dunar. Delimitamos estações de amostragem com transectos controlo e tratamentos (diferentes níveis de perturbação). Medimos os seguintes parâmetros em quadrados de amostragem: percentagem de cobertura de cada espécie, percentagem de solo nu e altura da vegetação. Foi possivel concluir que a vegetação que não morre após o tratamento acaba por recuperar a altura inicial. Contudo, a vegetação perdida (em quantidade proporcional à intensidade da perturbação) não volta a recuperar de forma estatisticamente significativa. O solo nu aumenta irremediavelmente. Confirma-se que o uso dos trilhos pedestres tem impacte negativo e irreversível na flora dunar. No entanto, de acordo com os resultados e com a bibliografia consultada, esses impactes são de pequena extensão à escala do ecossistema, desde que confinados ao trilho. Assim, é essencial respeitar as normas de utilização da RV.

Descobre mais detalhes sobre o estudo aqui. Os resultados do projeto foram apresentados na Mostra nacional de Ciência com estes dois cartazes: cartaz parte 01, cartaz parte 02.