Variação geográfica da densidade estomática no carrasco e na aroeira

Beatriz Cortês, Iryna Litovska, Sonya Lenehan

O nosso objetivo foi comparar a variação da densidade estomática das folhas de carrasco (Quercus coccifera) e aroeira (Pistacia lentiscus) em três localizações geográficas diferentes: na zona costeira, centro e interior do concelho de Odemira. Para cada zona foram seleccionadas 6 folhas de cada uma das espécies. Contaram-se, em cada folha, os estomas observados em 6 campos microscópicos com ampliação 400x e através dos resultados obtidos fizeram-se testes estatísticos. Verificámos que aresposta das plantas aos fatores ambientais quanto à densidade estomática é mais complexa do que estávamos à espera e provavelmente relaciona-se com a igualmente complexa combinação de diferentes fatores (temperatura, luz, vento e disponibilidade de água) nos habitats estudados. Concluímos que as plantas estudadas têm a capacidade de aumentar ou reduzir o número de estomas em resposta aos fatores ambientais.

Descobre mais detalhes sobre o estudo aqui e espreita o cartaz aqui.