Propagação in vitro de Plantago almogravensis

Daniel Silva, Daniel Gregório e Nicholas Knight

O objetivo deste trabalho foi ampliar a área de distribuição de Plantago almogravensis, uma planta endémica da costa SW portuguesa, aumentando o número de efetivos da espécie e diminuindo assim o seu risco de extinção. Para tal, são utilizandos exemplares propagados in vitro, em laboratório, e posteriormente aclimatizados às condições naturais.

A germinação in vitro de sementes de Plantago almogravensis fez-se em meio ¼ MS, sem reguladores de crescimento. Os rebentos obtidos através de germinação de sementes foram multiplicados em meio MS com reguladores de crescimento, uma citocinina (benziladenina). Fez-se o enraizamento dos rebentos in vitro, utilizando ácido indol 3-acético, uma auxina que estimula a produção de raízes e, finalmente, a aclimatização às condições externas, ex vitro.

Na propagação in vitro obtiveram-se elevadas taxas de germinação (89%), assim como boas percentagens de sobrevivência na fase de multiplicação (95%). Contudo, obtiveram-se baixas percentagens de enraizamento (11 a 18%) e problemas graves na aclimatação; em alguns lotes ocorreu 100% de mortalidade.

Descobre a apresentação deste estudo aqui.